sábado, 29 de agosto de 2009

Quando os trabalhadores fazem a História


Eles eram poucos. E nem puderam cantar muito alto a Internacional, naquela casa de Niterói, em 1922. Mas cantaram e fundaram o Partido. Eles eram apenas nove: o jornalista Astrogildo, o contador Cordeiro, o gráfico Pimenta, o sapateiro José Elias, o vassoureiro Luís Peres, os alfaiates Cendron e Barbosa, o ferroviário Hermogénio, e ainda o barbeiro Nequete, que citava Lenine a três por dois. Em todo o país eles eram mais de setenta. Sabiam pouco de marxismo, mas tinham sede de justiça e estavam dispostos a lutar por ela. Faz sessenta anos que isso aconteceu. O Partido Comunista Brasileiro não se tornou o maior partido do Ocidente, nem mesmo do Brasil. Mas quem contar a história do nosso povo e seus heróis, tem que falar dele, ou estará mentindo.

Ferreira Gullar (XIV Congresso Nacional do PCB - 9 a 12 de Outubro de 2009)

Fonte: Resistir.info

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

As linhas da Mudança - Renovação Comunista promove debate


A Associação Política "Renovação Comunista" promoveu um debate sobre a problemática da alternativa política de esquerda em Portugal, tendo em conta o contexto histórico e os bloqueios das experiências socialistas precedentes. Chamado de Debate para a Alternativa, foram apresentadas várias teses, que os promotores publicaram sob o título "As Linhas da Mudança", e que podem também ser lidas no blogue da RC. Não se trata, como é afirmado pela RC, de um programa de Governo, mas tão somente de um elenco de rupturas, nomeadamente com o discurso da esquerda ao longo de décadas. É que se o grande compromisso social e político inserto no New Deal dos anos trinta do século XX nos EUA e no pós-guerra na Europa, assentou na ideia da progressão salarial porém desligada da muito maior progressão dos lucros, o novo compromisso social e político a conquistar pelos trabalhadores tem necessáriamente de ir mais além, tem de alcançar um horizonte de reapropriação do valor acrescentado na economia. Dito ainda que, tal como o fazem as correntes de opinião à esquerda, também a RC dá a maior importância à correcção urgente das desigualdades sociais que o país atravessa e que a crise não deixará de agravar. No quadro da evolução que preconizam, tem um valor particular a questão da democracia nas empresas e a participação dos trabalhadores na sua governação, dizem os renovadores, que se batem por uma concepção estratégica e necessária de co-assunção de responsabilidades e riscos, não só no espaço estatal mas igualmente em toda a economia. Vários temas foram abordados neste debate, a justificar uma leitura da obra editada.

Os debates televisivos que Sócrates e Manuela Ferreira Leite não querem


Francisco Louçã desafiou o PS e PSD a responderem até quarta-feira à proposta de debates para as eleições legislativas, considerando que o "confronto de opiniões" corresponde "ao esclarecimento da democracia". Louçã acusou os dois partidos de "quererem ter votos para ter o poder, mas de não quererem dizer aos portugueses o que querem fazer com ele". Sobre a lei do enriquecimento injustificado, que o presidente da República promulgou, o líder do BE criticou o PS pela sua aprovação, considerando que "permite a corrupção desde que o fisco receba parte do dinheiro". Assim, diz Louçã, "se alguém for apanhado com a mão na massa do enriquecimento injustificado (e todos sabemos quem são aqueles que o fazem), divide esse dinheiro com o fisco e fica tudo bem". Ironizando, Louçã compara a lei do PS com as "bulas de indulgência pagas em tempos ao Papa para se esquecerem os pecados". Também numa entrevista dada ontem ao "Jornal de Negócios", Louçã denunciou que Jardim Gonçalves tem 40 guarda-costas pagos pelo BCP, para a vida inteira, e que são os capitalistas, com cursos de cristandade e da Opus Dey, quem estão a assustar o país, sendo a grande figura da economia portuguesa sempre o ministro das Finanças, porque é ele quem distribui o dinheiro aos empresários, que têm uma visão de tio Patinhas da sua actividade, sempre de chapéu virado para o Estado, à espera de uma renda.

Fonte: Esquerda Net e Jornal de Negócios

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

CDU apresenta candidaturas


São já conhecidos os candidatos da CDU aos órgãos autárquicos do concelho. À Câmara Municipal, como já se sabia, é Daniel Sampaio, escriturário, da freguesia da Carreira. Para a Assembleia Municipal concorre Sílvio Sousa, do Calendário, seguido de Carlos Cardoso Azevedo, de Vermoim, e Cátia Castro, de Antas. A CDU vai concorrer em 35 das 49 freguesias do concelho, menos quatro do que nas autárquicas de 2005. A única presidência detida pela Coligação Democrática Unitária é a da freguesia de Arnoso Santa Eulália, cujo autarca, Manuel Joaquim, se recandidata. De entre as diversas candidaturas às freguesias, o destaque vai para as de Riba de Ave e Calendário, onde se apresentam de novo, como cabeças-de-lista, os autarcas Miguel Lopes e Barbosa da Silva.

Fonte: Jornal "Opinião Pública"

sábado, 22 de agosto de 2009

Ministra da Educação criticada dentro do próprio partido


Quando se anuncia nova vaga de contestação sindical no regresso às aulas, Maria de Lurdes Rodrigues vê-se criticada dentro do próprio PS. Num artigo publicado hoje no "Expresso", o socialista Marcos Perestrello lamenta a "rigidez", "obstinação" e "atitude hostil" da ministra para com os professores, dizendo que a partir dessa sua postura "deixou de ser possível devolver à escola o clima de estabilidade necessário ao êxito das mudanças iniciadas". O articulista, que é também candidato à Câmara de Oeiras, defende como grande desafio do próximo Executivo "encontrar uma nova forma de relacionamento recíproco entre o ME e os professores", acrescentando que faltou coragem ao Ministério "para voltar atrás na divisão da carreira em titulares e não titulares". As críticas de Marcos Perestrello à forma como a ministra geriu as suas relações com a classe docente, seguem-se às de Manuel Alegre e às de outros deputados socialistas, e são acompanhadas pelas de Luís Fagundes Duarte, membro de comissão parlamentar socialista de Educação, que afirma também lamentar "que a ministra não tenha sabido ouvir, em algumas alturas, as pessoas que estão no terreno". Razão têm os professores para não deixarem de lutar. Contra o estatuto da carreira e o modelo de avaliação, os docentes e sindicatos preparam-se para novas contestações.


Fonte: Jornal "Expresso"

Lista da CDU à Câmara Municipal de VN de Famalicão


Como era já sabido, a lista da CDU à Câmara Municipal de Famalicão é encabeçada por Daniel Ribeiro Padrão Sampaio. Acompanham-no Ana Isabel Oliveira Novais, José António Fernandes dos Santos, Sara Liliana Pereira Machado, José Miguel da Silva Lopes, Paulo Manuel da Costa e Silva, Paula Cristina da Silva Campos, Júlio Ricardo Faria da Costa e Sá, José Araújo e Silva, Maria Eugénia Marques de Paula, António Manuel Costa, Alberto José Frutuoso Ribeiro de Sousa, Verónica Patrícia Ferreira Fontes, José Luís da Silva Costa e Laura Alice Azevedo Gomes Correia. Neste momento não conhecemos a lista à Assembleia Municipal, órgão em que a CDU obtém representação, havendo alguma expectativa quanto à sua composição, nomeadamente ao nível dos quatro primeiros nomes, pese embora a possibilidade de alterações no pós-eleições.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

COOPRAVE - Quando o sonho comanda a vida


Face à carestia de vida que atormentava os operários e também para possibilitar actividades associativas e recreativo-culturais que o regime reprimia, elementos da CDE, que liderava a luta contra o fascismo em Riba de Ave, criaram em 1971 a "Cooprave", Cooperativa de Consumo, cujas actividades haveriam de provocar a atenção da PIDE/DGS, ao gerarem situações de afrontamento ao sistema, fechado no seu imobilismo e isolamento. Colóquios, debates, cinema, espectáculos musicais, foram muitas das actividades desenvolvidas pela COOPRAVE, para além dos serviços de venda de produtos sem fins lucrativos, a justificarem a grande adesão que a iniciativa mereceu por parte dos trabalhadores da região. O espectáculo com Zeca Afonso, que a PIDE impediu, foi uma das iniciativas da cooperativa. Foi esse um tempo em que o sonho marcou a vida de uma geração, que acreditava num mundo melhor através da adesão activa a um projecto de dignidade para a vida. A experiência é rica como paradigma da força dos trabalhadores, quando unidos para o exercício de uma democracia social. Voltaremos a ele... Na foto, o início das obras de adaptação do prédio onde foi instalada a Cooperativa, com o trabalho voluntário de muitos aderentes.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

PS prevê gastar 5,5 milhões em campanha eleitoral


Não há crise que desarme o partido do governo nas vésperas de eleições. A crise económica e o ano eleitoral intenso de 2009 faziam antever reduções orçamentais nos maiores orçamentos de campanha. Mas se a crise serve para justificar outros cortes, como salários e pensões de reforma ou subsídios de desemprego, não dá para afectar campanhas eleitorais de luxo, à americana. Só em comícios e espectáculos, o PS prevê gastar 5,5 milhões, mais do que os 4,8 milhões que gastou nas legislativas de 2005, e mais do que o dobro dos restantes partidos parlamentares todos juntos. E assim vai a crise!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Ao meu Partido - Pablo Neruda


Deste-me a fraternidade com os desconhecidos.

Juntaste a mim a força de todos os que vivem.

Voltaste a dar-me a pátria como num nascimento.

Deste-me a liberdade que não tem quem está só.

Ensinaste-me a acender a bondade como o lume.

Deste-me a rectidão de que precisava a árvore.

Ensinaste-me a ver a unidade e a diferença dos irmãos.

Mostraste-me como a dor de um ser morreu na vitória de todos.

Ensinaste-me a dormir na cama dura dos que são meus irmãos.

Fizeste-me construir sobre a realidade como sobre a rocha.

Fizeste-me inimigo do malvado e muro do colérico.

Fizeste-me ver a claridade do mundo e como é possível a alegria.

Fizeste-me indestrutível pois contigo não termino em mim próprio.


Pintura de Rogério Ribeiro

PS apresenta listas de candidatos


O Partido Socialista apresentou na passada segunda-feira as listas de candidatos aos órgãos autárquicos do concelho de VN de Famalicão. Reis Campos, cabeça de lista à Câmara, fez críticas ao slogan do seu opositor Armindo Costa(PSD/CDS-PP), afirmando que a sua lista se apresentava contra o "rumo certo da estagnação e da desilusão". Acompanham Reis Campos, António Barbosa, Maria José Gonçalves, Mário Martins, Orlando Oliveira, Maria Inês Carvalho, Rui Faria, António Morgado, Susana Silva e Cristiano Silva. No que diz respeito à Assembleia Municipal, os primeiros cinco lugares são ocupados por Salvador Cabral, Domingues Azevedo, Ana Paula Costa, Rubim Santos e Duarte Santos. O ex-deputado do CDS-PP, Tavares Bastos, que agora concorre na lista do PS, ocupa o 11º. lugar. Agostinho Fernandes é o mandatário das candidaturas.

Fonte: Jornal "Opinião Pública"

Aumento do salário mínimo é uma medida urgente


Em entrevista dada hoje ao jornal "Negócios", Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, defende uma política económica de ruptura, apostando na produção nacional de micro e pequenas empresas pela subida do salário mínimo, descida do preço da energia e facilidade no acesso ao crédito. Outras medidas urgentes, são a necessidade de acudir aos desempregados e a alteração dos critérios de atribuição do subsídio de desemprego. Sobre a situação da economia, diz que falar em retoma, como o fez Sócrates, é negativo, porque neutraliza as preocupações e a necessidade de procurar soluções. Sobre o poder político e económico, diz que "há um continuismo", e que não houve com o PS rasgo nem fortuna em tentar subordinar o poder económico ao poder político, e que na Educação o que se concretizou foi uma visão mercantilista do ensino. Finalmente, sobre a reforma da Segurança Social, diz que "quem contribuiu para o seu reforço financeiro foram fundamentalmente os trabalhadores, e que o contributo dos que têm mais foi de zero.

Fonte: Jornal Negócios

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

"Salvem os Ricos", por Manuela Ferreira Leite









A líder do PSD junta-se à campanha lançada pelos "Contemporâneos" e explica porque é fundamental para o país que os ricos dêem festas, comprem iates e vivam rodeados de luxo.

Fonte: "Esquerda net"

Ferro Rodrigues, antigo líder socialista, defende uma coligação com o PCP e Bloco de Esquerda


Em entrevista ao semanário Expresso de ontem, o antigo líder socialista Ferro Rodrigues, defende a formação de um governo à esquerda, com o PCP e o BE, se o PS não alcançar a maioria absoluta. Questionado sobre se acredita que o PS obtenha a maioria absoluta, admitiu que "tal resultado é muito dificil", e que a não se verificar, o PS deve convidar o PCP e o BE, já que um governo minoritário só deverá acontecer em último recurso. Apesar desta opinião, não exclui a hipótese de um Bloco Central, em que não participe o CDS-PP. A sugestão de Ferro Rodrigues de uma coligação à esquerda, já foi recusada pelo PCP e BE, que evidentemente não podem dar cobertura às políticas do PS, em troca de lugares no Governo. Jerónimo de Sousa disse que "sem discussão e sem a correcção de "entorses" e "injustiças", o PCP não vai aceitar uma negociação de lugares, exigindo que o PS mude de políticas. Fernando Rosas, do Bloco de Esquerda, garantiu também que o seu partido não aceitará qualquer tipo de acordo pré ou pós-eleitoral com o PS, de José Sócrates. Assinale-se, também, que Mário Soares e o líder parlamentar do PS, Alberto Martins, rejeitaram a hipótese do Bloco Central.

Fonte: semanário "Expresso"

sábado, 15 de agosto de 2009

Mais de 500.000 desempregados, o valor mais alto de sempre


Pela primeira vez, o INE dá conta de mais de 500.000 desempregados, ao divulgar a evolução do desemprego no 2º. trimestre de 2009. Ainda ontem o Primeiro-Ministro tinha procurado esconder a situação de recessão em que o país se encontra, a partir dos números da evolução do PIB, dando mostras de um optimismo balofo. Os resultados sobre o desemprego agora anunciados, são o mais forte desmentido de toda a propaganda e demagogia do PS, e confirmam a real dimensão da crise. É que a somar aos números divulgados(507.700), há a acrescentar o nº. de trabalhadores disponíveis mas inactivos e o subemprego, o que tudo junto atira para um valor de mais de 600.000 desempregados, o maior número desde o 25 de Abril. A máquina aparelhística do PS já não consegue encobrir a realidade, sendo caso para dizer que lhe sobra em propaganda o que lhe falta em capacidade para combater a crise e resolver o problema do desemprego. É que ninguém esquece que Sócrates tinha prometido 150.000 empregos e, afinal, a realidade é esta do aumento imparável do desemprego, que já não pode ser escondido pela demagogia e propaganda do Governo.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Foram há 64 anos os criminosos bombardeamentos nucleares de Hiroshima e Nagasaki


Em Agosto de 1945, os EUA levaram a cabo os criminosos bombardeamentos nucleares contra as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Ao assinalar a tragédia, o Conselho Português para a Paz e Cooperação veio alertar o povo português para o perigo real que representa hoje, 64 anos depois, a existência de 26.000 ogivas nucleares, devido até potências como os EUA e NATO avocarem a possibilidade de utilização da arma nuclear, um dos piores pesadelos da Humanidade. No dia 6 de Agosto de 1945, uma única bomba num único instante, mudou o mundo para sempre. Hiroshima, e três dias depois Nagasaki, transformaram-se num inferno, matando centenas de milhares de vítimas humanas. Exige-se um mundo livre de armas nucleares, para que não se volte a viver o inferno do terror e possa viver-se em paz, que é o maior e o mais profundo desejo de toda a Humanidade.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Virgílio Costa foi excluido das listas do PSD


O nome do deputado famalicense Virgílio Costa foi excluído por Manuela Ferreira Leite, lider do PSD, das listas de candidatos às próximas eleições legislativas. Decisão polémica, devido a outras figuras, incendiou o partido, não sendo de subestimar eventuais benefícios para o PS. Registe-se o facto de Virgílio Costa ter sido o terceiro deputado com mais faltas dadas nos trabalhos da Assembleia da República (122 faltas ao todo) na legislatura, e o primeiro, por idênticas razões, na 1ª. sessão legislativa (Público, 18/07/09). Por esta estatística, pode-se ajuizar de como a escolha dos deputados é um acto a merecer a melhor atenção dos eleitores, sob pena dos seus interesses e direitos não terem na AR a representação devida. É que ser eleito, para ser mero espectador, só pode interessar a quem não olha a representação que recebeu do voto popular como uma responsabilidade pública, que os deputados devem tomar muito a sério. Porque muitos deputados não tomam essa representação com a devida ética, é que o Parlamento é hoje uma instância desprestigiada, quando deveria ser o coração da democracia. Também a justificar comentários, que já se vão escutando, é a ligação política que se sabia existir entre o deputado Virgílio Costa e o presidente da Câmara Municipal de VN de Famalicão(PSD), e o impacto que o acontecimento vai ter ao nível da intervenção político-autárquica do arqtº. Armindo Costa.

domingo, 9 de agosto de 2009

Raul Solnado foi hoje a enterrar


Raul Solnado morreu ontem em Lisboa, a dois meses de completar 80 anos. Nasceu num bairro da capital, de origem modesta. Foi levado para o teatro pela mão de outro grande actor e também humorista, José Viana, falecido em 2003. Solnado estreou-se nos palcos em 1952, e neles viveu anos de enorme sucesso. Mas foi também uma figura relevante do cinema e da televisão. Os programas "Zip Zip" e "A Visita da Cornélia" foram coroas de glória da sua carreira televisiva, e "A Guerra de 1908", história traduzida de um original espanhol, foi um dos maiores sucessos da Rádio. Dado o seu humor corrosivo, que incomodava o regime, o fascismo tinha-o como um perigoso esquerdista. Todos os portugueses o viam no palco ou na televisão, ou ouviam-no na rádio ou nos discos. "Fazia rir como quem quer fazer o bem". Morreu um grande actor, com uma grande multiplicidade de rostos e de situações. Devemos-lhe este apontamento de memória e saudade.

Fonte: Jornal de Notícias

sábado, 8 de agosto de 2009

Boletim Municipal comparado a Publicação de Propaganda


O Dr.António Cândido Oliveira é um famalicense ilustre e um intelectual probo, autor de uma já apreciável bibliografia. Professor de Direito Administrativo na Universidade do Minho, é um estudioso de assuntos relacionados com autarquias locais, a cuja área tem dedicado trabalhos de reconhecido interesse, a par de uma intervenção cívica atenta e acutilante. Também cronista, assina com regularidade escritos no jornal "O Povo Famalicense". Na sua última crónica, faz uma severa crítica ao Boletim Municipal, de Julho passado, acusando-o de "publicação de propaganda", quando deveria ser de "informação e isento". Quanto ao título da capa do Boletim, "Cidade Verde", diz tratar-se de mera propaganda para um concelho e uma cidade "onde urbanizar significa desarborizar, e se mete construção até mais não", num Parque da Cidade. A terminar, diz que o "Boletim é absolutamente censurável e pisa claramente o direito das autarquias locais". Ora, nós que temos a experiência criminosa do derrube das muitas árvores na Avenida Narciso Ferreira, não podemos deixar de acompanhar o Dr.António Cândido nas suas críticas...

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Tavares Bastos nos "caminhos de esquerda" do PS


Não acreditamos que seja uma catarse de Tavares Bastos, mas é verdadeiramente uma "bomba" na proximidade das eleições. Com um vasto curriculum na direita famalicense, era já sabido que Tavares Bastos não dispunha desde há tempos da confiança política dos dirigentes locais do seu partido, tendo assumido ultimamente na Assembleia Municipal, em que é deputado pela coligação PSD/CDS-PP, posições opostas às dos partidos que representa. Ouvido pelo jornal "O Povo Famalicense", Tavares Bastos faz acusações gravíssimas à coligação PSD/CDS-PP, dizendo que "foi obrigado a abandonar o CDS para não ser obrigado a abandonar Famalicão", e acrescentando: "se os deixarem à solta, eles vão vender a cidade". Já o PS, em comunicado enviado à comunicação social, "saúda esta decisão de Tavares Bastos, convencido que está que a sua integração na lista candidata à Assembleia Municipal é uma mais valia para o Partido Socialista". Por estas veredas segue o PS rumo à esquerda...
Fonte: "O Povo Famalicense"

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Uma ministra "salazarenta"



Mário Nogueira, da FENPROF, denunciou um chorrilho de mentiras afirmadas pela Ministra da Educação, em entrevista recente ao jornal "Diário de Notícias". Nela, a ministra assumiu uma postura de bufaria, acusando-o de ser membro do Comité Central do PCP - o que não é verdade - postura pidesca e ominosa usada a 35 anos de distância do fascismo, e que hoje já não rende, devido principalmente à luta dos comunistas e certamente muito pouco(ou nada) à da então cidadã e hoje ministra, Maria de Lurdes Rodrigues. É que os "papões" hoje são outros(e muito concretos), e advêm da área política da Senhora Ministra. Do que hoje se tem medo é do desemprego, da insegurança, da falta de serviços de saúde, de educação, de reformas condignas, e do trabalho sem regras. Não queira, Senhora Ministra, tapar o sol com uma peneira, porque ninguém a tomará a sério. Mário Nogueira deu a resposta adequada, e responsabilizando a equipa do Ministério da Educação, fez um balanço negativo das políticas educativas implementadas e dos efeitos desastrosos que as mesmas acarretarão para a Educação, o Ensino, a Escola Pública e a Profissão de Professor. E desmontando afirmações da Ministra ao referido jornal quanto às posições assumidas pelos professores na luta que os opõe ao ME, o secretário-geral da FENPROF desmentiu tudo o que a ministra disse sobre a rejeição da avaliação, reafirmando que os Sindicatos de Professores entregaram propostas concretas para subtituir o actual modelo, respeitando os prazos estabelecidos. Será que a Ministra já se esqueceu que as várias manifestações dos professores trouxeram à rua, em cada uma delas, mais de 80% dos professores portugueses? Como disse Mário Nogueira, os efeitos negativos das actuais políticas educativas e da acção da actual equipa ministerial far-se-ão sentir. Decerto, quando a Ministra e a sua equipa já não tiverem qualquer responsabilidade política no sector, e por essa razão, como é infelizmente habitual, a culpa morrerá solteira. E será pena...

Desemprego atinge 50 mil no distrito de Braga


Não abranda a escalada vertiginosa do desemprego no distrito de Braga, afectando já 50 mil, mas os sindicatos temem que a este ritmo chegue aos 60 mil em Setembro ou Outubro. Depois do encerramento da "Sampaio Ferreira" e "Oliveira Ferreira", há outras grandes empresas em processo de redução de postos de trabalho, como a "Riopele", que despediu 400 trabalhadores em Julho, e outras que se preparam para seguir o mesmo processo. Não falamos de falências ou insolvências, mas do "emagrecimento" de efectivos. Segundo os sindicatos, o que se avizinha não é nada encorajador. O número de desempregados no distrito aproximou-se dos 50 mil, segundo dados revelados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional(IEFP), tendo o desemprego subido em nove dos 14 concelhos do distrito. Para discutir a gravidade do problema, criou-se recentemente no Minho uma plataforma, envolvendo a Universidade, a Igreja, a Associação Industrial e Comercial e os Sindicatos. Mas o Primeiro Ministro do Governo, Sócrates, ainda nem sequer se dignou responder ao pedido de reunião feito pela plataforma, como referiu o Arcebispo de Braga, em entrevista a um jornal.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Estes gajos são uns mãos rotas


O PS propõe 200 euros por cada nascimento, para incentivar a natalidade, mas a "massa" só pode ser levantada quando a criança tiver 18 anos... e votar no PS. Será que merecemos um governo tão "generoso"?... É que esta nota(se não for falsa) pouco mais dará do que para uns pacotes de fraldas, e dentro de 18 anos para pouco mais do que um café, e isso se o Banco não cobrar despesas de manutenção da conta. O "outro", ao menos, oferecia frigoríficos. Crise? Mas não de vergonha!...

Bloco de Esquerda apresenta candidatos em Famalicão, com praça cheia


O Bloco de Esquerda, de Vila Nova de Famalicão, apresentou os seus candidatos autárquicos no concelho, num comício, com praça cheia. José Luís Araújo, que encabeça a lista para a Assembleia Municipal, apresentou os dez cabeças-de-lista que o BE apresenta às Freguesias - que representam o triplo das candidaturas das eleições anteriores - e mostrou-se confiante de que o Bloco vai reforçar significativamente a sua presença e eleger uma vereadora, num concelho governado há oito anos por uma coligação PSD/CDS. Por seu lado, Ana Marcelino, candidata à Câmara, disse que a coligação de direita apresentou, aquando da sua primeira candidatura, uma extensa lista de compromissos, que reapresentou passados quatro anos, e que todos se encontram por cumprir. O evento contou com a presença de Francisco Louçã, lider do BE.


Fonte: Bloco de Esquerda